Por volta das 19:00h de Domingo (27), no Sítio Guarani, localizado no município de Guaraciaba do Norte, na margem da estrada que leva à cidade vizinha de Croata, o motorista de um veículo Monza, cor azul, de placa BOK-9403, da cidade paulista de Indaiatuba, provocou uma tragédia ao atropelar várias pessoas que saíam de uma igreja próxima. Das vítimas, 7 tiveram morte imediata ao serem lançadas contra uma cerca cheia de pedras. São elas: Maria Leitão Veras, 63 anos, Francisca Ivoneide Martins de França, 47 anos, Cleciane Lima de Sousa, 15 anos, Raimunda Campos Paiva do Carmo, 52 anos, Cícero Ribeiro do Carmo, 70 anos, Micaeli Marques do Carmo, 06 anos, Luzia Pereira Vieira, de 25 anos e Antônia Leila Martins Melo, de 15 anos, que morreu no hospital. Além das vítimas fatais, outras 2 estão na Santa casa de Sobral, todas com fraturas expostas, com sério risco de morte. O motorista fugiu do local, mas já foi identificado como sendo um comerciante de Guaraciaba do Norte. Porém, a quase inexistente legislação que cuida de crimes de trânsito não permite sequer que a polícia entre na residência do acusado de ter matado 8 pessoas, e pior, possivelmente, segundo testemunhas, dirigindo embriagado. Após o trabalho da perícia, os corpos foram levados para o IML de Sobral. Acostumado a enfrentar situações das mais diversas, o Comandante da 2ªCIA/3ºBPM, Capitão Artunane Aguiar, que atendeu a ocorrência, disse ao blog que as cenas vistas após o acidente foram de total terror, que a violência do impacto foi maior ainda por conta da cerca que acabou virando o túmulo para quase todas as vítimas. “Uma das vítimas, de apenas 15 anos, morreu com um terço na mão”, concluiu Artunane.

Fonte:Camocim Online