Um incêndio de proporção gigante destruiu florestas, cercas e cajueiros em centenas de hectares no PA Lagoinha/Solidão, no município de Bela Cruz. O incêndio aconteceu cinco dias após um encontro realizado na sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do Município de Cruz, dia 26 de agosto, para tratar de um conflito que vem se arrastando por mais de oito anos, entre assentados e invasores. Os assentados suspeitam de um ato criminoso, pois os invasores vêm sofrendo sucessivas derrotas na luta pela posse da terra, que deveria ser para agricultores, mas acabou ficando no domínio de políticos e proprietários da região. O incêndio iniciou quarta – feira, por volta do meio dia, mas só foi debelado na quinta-feira. Foram três dias de terror para os moradores das comunidades vizinhas que sofriam com a fumaça e o calor intenso. As comunidades de Baixio e Córrego da Forquilha, que ficam a 20 km de distância, sofreram com a fumaça. Da comunidade de Preá, a 25 km, avistava-se a nuvem de fumaça que atingiu grande altura. O PA Lagoinha/Solidão foi instalado em uma área de mais de 1.500 ha, em 1998, mas devido aos desvios de recursos que foram destinados ao Programa de Reforma Agrária, para subprojetos de investimento comunitário, os assentados levaram o caso para a justiça, sendo, hoje, o caso mais comentado e divulgado entre instituições de todo o Brasil, tanto na área estadual quanto federal e com ampla divulgação pelos meios de comunicação. O propósito inicial era para assentar 40 famílias, mas logo após a aquisição da terra, 10 famílias foram excluídas e posteriormente começou um processo de expulsão de vários assentados. O incêndio causou prejuízos incalculáveis, pois destruiu muitos metros de cerca de arame, grandes áreas de cajueiros e muitos hectares de matas.

Reportagem: Antonio dos Santos de Oliveira Lima Cruz/CE, 03/09/2010.