Mons. José Edson Magalhães (1931 – 2010)

Filho de Joaquim Rodrigues de Oliveira Magalhães e Eulina Alice Magalhães, nasceu em Acaraú, Ceará, a 12 de outubro de 1931. E foi batizado a 24 de dezembro, pelo Mons. Aloisio Pinto. Estudou as primeiras letras com sua mãe; curso primário com a professora Maria de Cássia Silveira e Padre José Ignácio Parente, concluindo-o no Seminário de Sobral. O curso secundário foi efetuado no mesmo seminário. Já o curso superior – Filosofia e Teologia – cursou, de 1952 a 1957, no Seminário da Prainha, em Fortaleza.

Recebeu o Presbiterato, a 19 de janeiro de 1958, na Igreja Matriz de Acaraú, das mãos de Dom José Bezerra Coutinho, Bispo Auxiliar de Sobral. Celebrou sua primeira Missa Solene, na Capela de São Sebastião, no dia seguinte. Essa Capela fora construída pelo major Raimundo Coelho de Albuquerque, seu bisavô.

Foi o primeiro Pároco da Paróquia de São Francisco, de Cruz, de 1958 a 1965. Neste ano, com a morte do Mons. Sabino, tomou posse da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Acaraú. Nesta Paróquia deu prioridade à criação de grupos pastorais e comunidades eclesiais de base. Construiu centros comunitários nos bairros e Centro de Educação de Líderes (Centro de Treinamento). Coordenou a construção de capelas. Vigário Episcopal da região do Vale do Acaraú, por três vezes. Coordenador da Pastoral da Diocese de Sobral; Vice-Presidente da Comissão do Clero Regional Nordeste I; membro dos Conselhos Presbiteral, Pastoral e Consultores Diocesanos. Foi Secretário Geral do 1º Encontro Nacional do Clero, em São Paulo.

Quanto às atividades intelectuais, ele fez a revalidação na Faculdade de Filosofia de Teresina, no Piauí; cursou Letras, em Sobral; Antropologia, em Fortaleza. E outros cursos de extensão universitária. Lecionou no Colégio Virgem Poderosa, vários anos. Publicou artigos e crônicas nos jornais “ O ACARAÚ” e Correio da Semana, de Sobral. Tem escrito homilias, pensamentos e crônicas que permanecem inéditos.

Faleceu, em Acaraú, no dia 29 de março de 2010. Seu pensamento pessoal: “Diferentemente do fanático e do sectário, é feliz o homem que possui uma fé autêntica, pois além de outras vantagens, ela lhe dá uma visão da verdade, na sua universalidade”.

Biografia por : Vicente Freitas
http://www.vicentefreitas.blogspot.com