Uma sequência de 47 tremores de terra em menos de 24 horas assustou a população de Alagoinha, no Agreste pernambucano e a 234 quilômetros do Recife. O mais forte foi às 20h19min de segunda-feira: 3,2 graus na escala Richter. Os outros ficaram em torno de dois graus. Ninguém se feriu. Mas, como foram sucessivos, os tremores causaram pânico à população de 15 mil habitantes.

O município foi atingido por um total de 50 abalos sísmicos de baixa intensidade entre o dia 3 deste mês e o fim da manhã de ontem, apontou o Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que enviou uma equipe ao local.

A maior atividade dos tremores ocorreu entre a tarde de segunda e a manhã seguinte. De acordo com a Defesa Civil, moradores ouviram estalos e sentiram a terra tremer. Em cada ocorrência era ouvido o som de uma explosão abafada, de acordo com a descrição do prefeito do município, Maurílio Almeida (PTB). Não foram constatados danos: apenas rachaduras em algumas casas, que poderiam existir antes das ocorrências.

Para o coordenador do laboratório, Joaquim Ferreira, apesar de ser novidade na região de Alagoinha, que nunca havia registrado abalos, é bastante comum o registro de tremores de baixa intensidade no Nordeste. Ele descartou vinculação com os tremores recentes no Chile. A causa, porém, ainda vai ser determinada.

Fonte:Opovo – Matéria completa AQUI

Anúncios