martacoelhoO hoje é o amanhã de ontem.
O tempo assemelha-se a um vendaval.
Sentimos que tudo passa tão rápido, sentimos que o tempo parece se eletrizar a cada momento que passa, sentimos que o tempo é tão veloz, fugitivo, que desarruma até os nossos pensamentos. E como ficam os nossos sonhos que encurtam os nossos braços na hora de alcançar a realidade?Por que o tempo não se cansa de prometer?

Como viver sem tempo para pensar?
Se hoje vivenciamos tempo da primavera, de repente tudo se vai, e nós nos vamos juntamente com o tempo.
Parece que o tempo não caminha, parece que o tempo não voa, parece que o tempo simplesmente se evapora.
O tempo parece consumir o próprio tempo.
O tempo assemelha-se a um ser predador.
O tempo faz suas traquinagens quando não permite que os nossos sonhos se transformem em realidade. Que tempo carrasco!
É impossível se construir barreiras contra o tempo, porque esse tempo é caracterizado como corrosivo. Tudo desgasta?
O tempo nos mostra que, enquanto alguém chora de alegria, um outro chora de tristeza. São situações bem diferentes impostas pelo próprio tempo.
Como somos arrastados pelo tempo!
Somos dependentes do tempo, somos reféns do tempo, somos passageiros de um meio de transporte chamado tempo que tem como condutor DEUS.

Não há vida sem tempo, nem tempo sem vida.
O tempo e a vida se aproximam e se completam.
Saiba aproveitar o seu tempo porque um dia você poderá dizer assim:
“Tudo passou, já não há mais tempo…”
Marta Coelho

Anúncios